domingo, 4 de novembro de 2007

À Procura do Nada

1º Capítulo

Isa tem 22 anos. É estudante de produção de eventos em Lisboa e vai partir para um intercâmbio nos EUA, onde vai terminar o curso e estagiar na área da música. Antes da partida, Isa revê toda a sua vida…

Desde pequena que Isa viveu no teatro onde a sua família trabalhava. Mãe costureira, pai encenador, tio actor… Cresceu no mundo atrás dos palcos, e cedo começou a entrar nele. Como se sentia à vontade em cima do palco, começou a entrar em cena, primeiro com pequenos papéis e depois outros com mais importância. Mas o seu futuro não era a representação, embora não estivesse muito longe. A sua voz era simplesmente maravilhosa: não era a melhor voz do mundo; mas não andava muito longe disso – pelo menos era o que todas as pessoas do teatro diziam e até o público, quando ela actuava cantando. Cantar, desde cedo foi o que ela quis fazer. Adorava a forma que se sentia em cima do palco a cantar para a audiência. Queria ser cantora “quando fosse grande”.
Os anos passavam. Isa foi para a escola. Sempre foi uma boa aluna mas não era excelente, porque as horas de ensaio roubavam-lhe tempo de estudo. Aos 14 anos, algo terrível aconteceu. Sem razão aparente e apesar da sua constante protecção, ela teve faringite nesse Inverno. Passou e continuou a cantar como nada se tivesse passado. No Inverno seguinte, a faringite voltou a atacar e a dobrar. Assustada com o que se passava, Isa foi ao médico para saber o que se passava mas ele nada podia fazer. Ele apenas podia curar a faringite, mas não sabia como evitar que ela aparecesse. Recomendou que Isa tomasse uma precaução acrescida com a sua voz no final do verão como se prevenisse para a gripe. Deu resultado, mas a sua voz não conseguia subir aos tons desejados por ela e por vezes sentia muita dor.
Consultou novamente o médico. Ele disse-lhe que podia ter duas opções: podia continuar a cantar com precauções acrescidas e parava uns tempos quando a faringite lhe danificasse as cordas vocais, correndo o risco de perder a voz ou desistia da carreira e cantava esporadicamente. Para Isa, perder a voz era perder tudo, por isso abdicou da sua carreira para poder continuar a ouvir a sua voz. Para não sentir falta dos palcos, fazia uns espectáculos de vez em quando, mas como para ela isso não era suficiente, decidiu seguir carreira como produtora de espectáculos. Ninguém conhecia melhor do que ela a vida por trás do palco. Podia não ser a vida com que ela tinha sonhado, mas era melhor do que nunca mais poder cantar… Ia partir para os EUA para seguir uma vida ao lado do seu sonho. Ia à procura do nada…

Fim so 1º capítulo

Sem comentários: