sábado, 17 de novembro de 2007

4º Capítulo

Isa olhou para o tecto da sala onde estava e viu, pendurados em cordas, os restantes membros dos Linkin Park agarrados a vassouras, que tentavam bater furiosamente numas criaturas que estavam no chão a tentar agarra-los. As criaturas eram baixas e estavam vestidas com umas capas verdes que chegavam ao chão. Naquele preciso momento, Isa pensou que tinha enlouquecido…
Isa vê Rita nos braços de Mike a um canto da sala. Repara que acorda e ouve o Mike a implorar para que não desmaie novamente e pede-lhe ajuda.
B: Vamos ajuda-los!
Isa responde prontamente, agarra numa vassoura e começa a bater nas figuras. Os que estavam em cima das cordas saltam para o chão, continuando sempre a bater neles. Mike e Rita juntam-se à luta. As figuras iam caindo, ficando imóveis. Isa reparou que havia um deles que se levantava sempre. O Chester também mas, infelizmente, ele vinha na sua direcção. Ele gritou por algo mais pesado para bater. Isa procurou em vão por um extintor, mas não havia nenhum. “Que grande falha de segurança!” pensou. Mesmo atrás do Chester estava uma guitarra. Instantaneamente, Isa gritou para ele agarrar na guitarra. Chester respondeu prontamente atirando a vassoura e agarrou na guitarra. Bateu uma e outra vez, sempre que a criatura se tentava levantar. Quando finalmente caiu, o Chester atirou com a guitarra para o chão.
Todos ficaram em silêncio. O Mike veio ter comigo e com a Rita e disse que eles já esperavam que isto acontecesse mas enquanto nos foram buscar aquelas criaturas estranhas adiantaram-se e chegaram primeiro. Agradeceram-nos a nossa ajuda e pediram instruções de como se protegerem no futuro. Isa estava sem saber o que dizer. Queria falar primeiro do facto de não haver pelo menos um extintor na sala mas não conseguia dizer nada. Ouvia a Rita ao seu lado a chama-la, mas Isa não conseguia responder. Começou a ouvi cada vez com mais nitidez e depois descobriu que ela estava a chama-la para acordar.
R: Acorda! Já estamos atrasadas!
Isa levanta-se. Revê rapidamente tudo aquilo que sonhou e diz:
I: Temos de fazer o trabalho como guia de protecção para a segurança e não apenas explicar o que é correcto fazer.
R: O quê?
As duas amigas foram se despachando rapidamente enquanto Isa se tentava explicar.
I: Tive um sonho muito estanho esta noite. Temos de fazer a apresentação como sendo um guia para os organizadores de festivais deste género.
R: Estás a falar como se fosse um manual para os organizadores seguirem quando produzirem um evento deste género?
Iam as duas a correr pelo corredor.
I: Sim, algo do género. Podia não resultar um livro mas por exemplo um vídeo ou um folheto informativo.
R: Sim, já percebi – Estavam a correr pelo meio da relva do jardim em direcção ao edifício onde iam ter aulas de Liderança/Coordenação – Mas tiveste essa ideia durante o sono, assim sem mais nem menos?
I: Sim – disse ofegante, enquanto subiam as escadas até à sala, onde a aula já tinha começado – mas conto-te tudo a ti e aos outros no intervalo. – Entrando na sala – Desculpe o atraso, Mariana. Podemos entrar?
Professora: Entrem. Ainda não tínhamos começado. Mas despachem-se.
As duas amigas ocupam os lugares rapidamente. Tinham intenções de prolongar a conversa mas a professora começou a aula e toda a turma fez silêncio.

Sem comentários: